sexta-feira, 22 de maio de 2009

Fenômeno da Internet


Eu sempre quis virar um fenômeno da internet sabe?
Tipo Mallu Magalhães.
Não tão esquisita quanto ela, mas enfim... Queria ir ao , Faustão, Gugu, mostrar pra todo o Brasil o quanto eu sou talentosa, por que pode não parecer, mas eu tenho talento.
Bom, eu já tentei compor músicas lindas, absolutas e Stefhanys, mas não obtive sucesso. Gravei vídeos cantando Mamonas Assassinas sem medo de ser feliz, e nadica de nada também. Então eu de repente me lembrei que eu SEI CONTAR PIADAS. Pelo menos eu acho que conto piadas muito bem, sabe...

Ontem eu fugi da aula de português (hihihi) e fui gravar vídeos com uns amigos meus. A minha intenção era contar a piada do Bruno e do Breno, mas o que saiu foram muitas risadas e algumas ofensas de fundo. O porquê das risadas a gente abafa, mas reparem que ao invés de eu falar BRUNO eu digo BRAU. Quem conhece sabe, quem não conhece, apenas sorria das minhas gargalhadas descontroladas.
A minha ultima risada merece um crédito, ela foi retirada bem do fundo da minha goela. E não reparem no meu cabelo esvoaçante e nem na minha voz de taquara rachada.
Divirtam-se. Ou não.




Beijomeliga :*

quarta-feira, 20 de maio de 2009

PELO FIM DE MAYA!

Eu odeio Caminho das Índias. ODEIO. Não suporto a música da abertura, acho ridículas as roupas dos indianos e suas manias esquisitas, e não consigo entender como atores renomados como Tony Ramos, por exemplo, se submetem a um papelzinho estranho como o de Opash.
MAS, eu não consigo parar de ver a novela. Simples assim. Todos os dias, 21:00h eu estou sentada no sofá esperando ansiosamente o novo capitulo. Isso não me é tão estranho, já que eu odiava Os Mutantes e foi um sacrifício danado pra eu conseguir me libertar daquele martírio. Enfim, eu não gosto da nova novela da Glória Perez, e um dos motivos principais desse ódio todo é ninguém mais, ninguém menos que a personagem principal.
É, a Maya.
A maior piriguete da televisão brasileira.

Defensores da Maya mala sem alça, não venham me jogar pedras e me julgar. Eu tenho provas concretas para confirmar a minha afirmação.

Motivo número 01: Ela deixou que seu pobre pai fosse pro inferno só pra dar pro Bahuan. Bom, pelas superstições e esquisitices indianas, um pai tem de ter uma filha e casá-la virgem e pura para que ele possa ter as chaves do paraíso. E o que a Maya fez? Ignorou completamente todos os mandamentos sagrados escritos no kama sutra indiano para fazer todas as posições pornográficas descritas no kama sutra brasileiro. E o pior: Ela fez tudo isso dentro de um TEMPLO. Vadia!


Motivo número 02: Ela tocou e fez outras coisas mais com um Dalit! Isso já é MUITA coisa para os indianos, mas o PIOR é que ela se fez de desentendida e abraçou mãe, pai, irmão, cunhada... Contaminando geral.

Motivo número 03: Ela largou emprego, família, amigos, casa, TUDO por um cara que ela mal conhecia, e ainda teve a cara de pau de falar na cara da sua própria mãe que ia embora mesmo e que não tava nem aí pra porcaria nenhuma. Quando ela viu que o cara deu um pé na bunda nela, voltou com o rabinho entre as pernas pra casa e ainda pediu pra mãe não contar nada pro seu pai.

Motivo número 04: Ela descobriu que estava grávida do Bahuan e ao invés de contar pra todo mundo e assumir logo todas as consequências dos seus atos. NOT. Ela ficou bem quietinha, casou com o gostoso do Raj, e enganou o pobre coitado dizendo que o filho é dele, contaminando, além da sua própria família, a família do marido.

Motivo número 05: Ela é hipócrita. Além de enganar o Raj na maior cara de pau, ela ainda fica fazendo ceninhas de ciúme. Vê se pode? Ela faz o marido de besta, o obriga a criar o filho do seu pior inimigo, que é um Dalit e ainda quer proibir o pobre coitado de ter um casinho com a Duda (a verdadeira protagonista dessa novela, eu adoro a Duda).

Agora me respondam: Como eu posso gostar de uma personagem dessas?
A Flora e a Nazaré perto dela são meras amadoras.
ELA é a verdadeira vilã. ELA impediu o amor verdadeiro que existia entre o Raj e a Duda. ELA se fosse brasileira, estaria nesse momento no calçadão de copacabana.
Vamos nos unir para que a Maya morra de lepra, o Bahuan pegue AIDS e o Raj case comigo.

PS.: Comprei uma blusa indiana.

domingo, 17 de maio de 2009

TUDO por Anjos e Demônios


Meu livro preferido foi/é/ e por um bom tempo será Anjos e Demônios. Por que, vamos combinar, Dan Brown é O CARA. Ele tem um poder de persuasão incrível, consegue te prender no livro de uma maneira inédita e ainda é um gatinho -q
Bom. Sexta-Feira estreou a tão esperada adaptação do livro pro cinema, que era pra ter estreado ANTES de O Código da Vinci, que por ser mais polêmico e tudo mais, furou a fila e deixou Anjos e Demônios pra trás. Enfim, quando descobri que dia 15 de maio o meu livro xodó ia estar nos cinemas, eu não pensei duas e vezes e já fui avisando geral.

Nada no mundo, NADA, me impediria de ir à estréia.

Como a maioria dos meus amigos é desprovida de recheio no crânio, não perdi meu tempo chamando eles e resolvi ir com ninguém mais, ninguém menos que a minha mami no cinema (Se eu tivesse um namorado...). Estava tudo combinado, ela deixaria o jantar pronto e nós iríamos serelepes ver o Tom Hanks. Só que minha mãe agora ta estudando e além de ficar horas no telefone com suas colegas, ir à casa delas fazer trabalhinho de escola e me encher o saco (te amo mãe) falando de como seu professor gay é chato e exigente ela resolveu chamar todas as suas coleguinhas para ir ao cinema com a gente. Olha que legal! Legal é uma ova! Virei uma arara e disse que não ia mais. Mas é lógico que eu estava de cabeça quente né... Eu queria ir SIM. Por isso, quando ela disse que quem não ia mais era ELA e não tinha UMA VIVA ALMA que pudesse me acompanhar, eu fiz um ESCÂNDALO. Chorei, esperneei, ameacei, xinguei e etc. Naquela altura do campeonato o meu show não ia dar muito resultado, se é que você me entende e eu fui dormir cedo, com a cara inchada e ouvindo minha mãe me prometer que no sábado nós iríamos sem falta ver o meu filminho.

Sábado nós saímos a tarde e estava tudo combinadinho que iríamos sair de lá e ir direto pro cinema. Acabamos achando uns amigos nossos, e fomos todos juntos. Já passava das 19 horas e queríamos pegar a sessão de 19:20. Ingressos esgotados. 20:40! Esgotados também. 22:00? Nananina. Minha mãe tem 45 anos, estava com sono e queria ir pra casa tomar sua sopinha. Saí da fila segurando as lágrimas.

Achei uns conhecidos meus. Namorados. Estavam se dirigindo para a praça de alimentação quando eu os interceptei. ‘Veio no cinema?’ Eu falei com a voz chorosa. ‘Aham, vim ver anjos e demônios’ O menino respondeu feliz. ‘Acabaram os ingressos da sessão de 20:40 cara!’ Eu disse sem entender a felicidade do moleque. ‘Nós vamos ver 22:00, vamos lanchar primeiro’. Quando ele disse aquilo, eu quase morri. Bom, eu normalmente não fico triste em ser uma encalhada e ter uma mãe careta, mas cara, eu PRECISAVA ver aquele filme. Deixei o casalzinho feliz ir lanchar em paz, comprei um chocolate e fui pra casa com os olhos marejados.
Marquei com uma amiga pra irmos hoje. Chegaríamos ao cinema 14:00h e pegaríamos a sessão de 16:40. Pelo menos ingresso não ia faltar. E cara, depois de tantas lágrimas, decepções e tristezas eu digo feliz da vida: EU VI ANJOS E DEMÔNIOS.
E ele é tão bom quanto eu imaginava que seria. Não parece nem de longe com as ultimas adaptações de livros que eu li (Eragon, Harry Potter OF, O Caçador de Pipas, Crepúsculo...). Tudo bem, não está IGUAL ao livro né, afinal é uma ADAPTAÇÃO, e eu li o livro a um tempão, nem lembro direito os detalhes e tudo mais, mas é muito parecido.
Vale a pena ver Tom Hanks só de sunguinha no início do filme. Suas coxas são sexys. :*

quinta-feira, 14 de maio de 2009

START

Exclui meu blog antigo sim. Cansei sabe? Tava chato, sem graça, sem visitas, as atualizações eram raras... Apaguei e estou feliz.

Bom. Como esse é o primeiro post de Vamos Mexericar (era pra ser mexerica, mas enfim...), vou fazer uma apresentaçãozinha mixuruca.

Com 9 meses eu já falava frases completas. Com um ano eu já sabia pronunciar o português corretamente. Com 4 eu já sabia ler melhor que os meus pais. Não sei nadar, andar de bicicleta, patins e também não sei comer com faca. Sou feliz assim. Nunca namorei. Sou feliz assim também. Tenho 1.64 de altura, mas queria ter 1.74. Tenho 17 anos, mas sou tratada como se tivesse 10, e isso me irrita MUITO. Adoro curtir uma fossa e um dia feliz é poder ver um filme de drama comendo chocolate e chorando horrores. Não sou emo. Sempre quis ser vegetariana. Nunca consegui. Sonho quase todas as noites. Nunca tenho pesadelo. Nunca quis ser bailarina e nem modelo. Tenho milhares de problemas de coluna. Fiz 3 anos de RPG e Fisioterapia. Roí unha minha vida inteira. Parei agora. Sou C.O.C.A. (Chocólatra Obsessiva Compulsiva Assumida). Tenho espinhas. Tenho olhos puxadinhos e cabelo preto liso. Não sou japa. Tenho um nome horrível e todos me conhecem pelo meu apelido. Ulli, prazer. Odeio arrumar a casa e meu quarto é, digamos... uhm, meio confuso sabe? Minha mãe já teve sorveteria e eu nunca enjoei de sorvete. Mudei de cidade a um ano. A época de adaptação foi o pior momento da minha vida. Hoje eu sou muito feliz aqui. Adoro sertanejo. E rock. E pop. E forró. Menos funk e calypso. Sou sensata. Sou alérgica a pernilongo. Só. Canto mal. Desenho mal. Danço mal. Eu sou legal sabia? Não sei jogar xadrez, nem gamão, nem copas. Meu maior sonho é morar sozinha. Tenho fobia de perereca. Não gosto de mato. Adoro o sol. A melhor época do ano é o verão. Minha cor favorita é verde. Sou anti social as vezes. As pessoas me denominam como Miss simpatia. As pessoas não sabem a verdade. Sou exigente. Meu maior defeito é ser perfeita. Mentira. Eu sou submissa demais e arrogante. Sou volúvel também. Sou inteligente e tenho o coração bom. Pelo menos metade dele é. Tenho medo de filme de terror. Olho dentro do guarda roupa e debaixo da cama antes de dormir. Nunca fui de fazer loucuras, mas já fiz algumas. Já me arrependi de várias coisas que fiz. Tento melhorar sempre. Às vezes é difícil. Subo 5 degraus de cada vez. Já caí várias vezes. Não seria a pessoa que sou se não houvesse caído. Hoje eu vivo bem. Longe de pessoas importantes, e perto de outras tão importantes quanto. Se eu pudesse mudar alguma coisa na minha vida, eu não saberia o que mudar. Tudo talvez. O mais importante pra mim é a alegria e o bom humor. Acredito que com essas duas coisas dá pra levar a vida tranquilamente. Hoje eu posso dizer que apesar dos pesares, eu vivo tranquilamente.

Bem vindos. :*